Concreto Armado

Principais ensaios não destrutivos para estruturas de concreto

Em muitos casos é necessário averiguar a boa condição do concreto em estruturas. Isso pode ser feito utilizando os ensaios não destrutivos para estruturas de concreto. Estes ensaios são cada vez mais atrativos, especialmente em situações onde não é possível retirar corpos de prova convencionais.

Antes do desenvolvimento das tecnologias disponíveis hoje o controle da qualidade do concreto endurecido era feito apenas com a extração de corpos de prova. Estes corpos de prova são utilizados para verificar a resistência à compressão do concreto.

Entretanto, em alguns casos é inviável a utilização deste procedimento, visto os riscos que envolvem a retirada de um corpo de prova de uma estrutura de concreto.

Atualmente, é possível verificar inúmeras características do concreto sem a necessidade de comprometer parte da estrutura. Estes ensaios são os famosos ensaios não destrutivos para estruturas de concreto.

Com estes ensaios é possível estimar com boa precisão a resistência à compressão do concreto, informações sobre o posicionamento de armaduras, permeabilidade do material, potencial de corrosão, entre outras características importantes.

5 Ensaios não destrutivos para estruturas de concreto que você precisa conhecer

1 – Ensaio de esclerometria ou de dureza superficial:

dicas sobre os ensaios não destrutivos para estruturas de concretoEste é um dos ensaios não destrutivos mais famosos, é normatizado pela NBR 7584/1995. É utilizado para estimar a resistência à compressão do concreto. O ensaio é muito simples e consiste na utilização de um equipamento chamado esclerômetro de reflexão, um tipo de martelo que é impulsionado por uma mola e choca-se contra a superfície do concreto ensaiado.

Quanto mais dura a superfície, maior será o recuo (reflexão) da massa do martelo. Os bons resultados deste tipo de ensaio dependem de alguns parâmetros, como a boa uniformidade da estrutura de concreto.

Além disso, o bom uso do equipamento é fundamental para que sejam obtidos bons resultados. Por isso, a equipe que utilizar este equipamento deve ser preparada para observar todos os detalhes durante a execução do ensaio de dureza superficial.

2 – Ensaio de medição da maturidade do concreto:

Este segundo ensaio é muito utilizado ainda no processo de construção da estrutura, durante o processo de cura e endurecimento do concreto.

Por este ensaio é possível relacionar tempo e temperatura e obter assim a resistência à compressão estimada do concreto. É um ensaio ideal para verificar o melhor momento para retirada das formas e dos escoramentos.

Em situações de alta produtividade onde as formas precisam ser retiradas rapidamente este ensaio pode ser muito importante para averiguar se o concreto está em condições ideais para perder a forma e o escoramento. Isso pode evitar problemas com trincas e problemas de deformação.

3 – Ensaio de resistência à penetração:

Este é mais um dos exemplos de ensaios não destrutivos para estruturas e concreto que auxiliam na estimativa da resistência à compressão do material.

O ensaio consiste em atirar um pino metálico contra a estrutura de concreto. O equipamento é conhecido como penetrômetro Windsor. A resistência à compressão do concreto é relacionada com o comprimento do pino que fica exposto.

Este ensaio pode ser utilizado também na fase de cura do concreto, o pino pode ser disparado pela forma de madeira e verificada a resistência do concreto antes de realizar a retirada das formas e do escoramento.

Vale destacar que assim como o ensaio de esclerometria este ensaio mede a dureza de um ponto específico e tomar os valores obtidos como reais dependerá da homogeneidade da estrutura de concreto.

4 – Ensaio de absorção e permeabilidade do concreto:

Com este ensaio é possível medir características importantes do concreto, que são a absorção e a permeabilidade. A absorção é o potencial de sucção dos poros da superfície do concreto, enquanto que a permeabilidade mede o fluxo de um líquido através do material submetido a ação de um gradiente de preção.

Para medir o potencial de absorção do concreto é realizado o ensaio de absorção superficial inicial, que correlaciona o fluxo de água na superfície do material pela unidade de área.

A permeabilidade é verificada por outro ensaio, que é chamado de Método Figg.

5 – Ensaio de ultrassom para estruturas de concreto:

Outra opção de ensaios não destrutivos para estruturas de concreto que tem sido cada vez mais utilizado é o ensaio de ultrassom.

Com este ensaio é possível verificar as boas condições internas da estrutura de concreto. Descontinuidades na estrutura, presença de brocas, material sem homogeneidade, fissuras e trincas podem ser monitoradas por este tipo de ensaio.

O ensaio consiste em enviar ondas acústicas ultrassônicas por um emissor que são recebidas por um receptor. A boa homogeneidade da estrutura de concreto é indicada pela velocidade com que a onda passa pela estrutura, quanto mais rápida é a passagem das ondas melhores são as condições internas da estrutura.

6 – Ensaio de termografia infravermelha:

Este ensaio possui o mesmo objetivo do ensaio de ultrassonografia, ou seja, pretende averiguar se internamente o concreto possui boas características.

Para isso, as características do concreto são relacionadas com o fluxo de temperatura do material. É possível identificar defeitos internos conforme o fluxo de calor da estrutura.

7 – Ensaio de pacometria do concreto:

O último ensaio é o ensaio de pacometria do concreto. Com este ensaio é possível determinar as características das armaduras em uma estrutura de concreto, como sua posição, seu diâmetro e comprimento.

Os resultados são obtidos por meio da avaliação da perturbação que o aço sofre após a criação de um campo magnético.

Os resultados deste tipo de ensaio são muito interessantes, é o ensaio que descreve com maior precisão as verdadeiras condições de uma armadura no interior de uma estrutura de concreto.

Últimas palavras sobre ensaios não destrutivos para estruturas de concreto

Como pode ver existem inúmeros ensaios que podem fornecer informações importantes sobre uma estrutura de concreto. Alguns ensaios já são bem acessíveis, enquanto outros ainda são caros e possuem poucos especialistas.

Vale destacar que nenhum ensaio é completo ou perfeito. Todos possuem um certo grau de incerteza e fornecem informações bem específicas. O melhor é combinar os ensaios para obter informações mais completas e confiáveis.

Você também pode compartilhar este conteúdo com seus amigos, é só utilizar uma das redes sociais abaixo.

Forte abraço.

Esse artigo foi útil para você?

Clique nas estrelas abaixo para avaliar!

Avaliação Média / 5. Total de votos:

Como você gostou deste artigo...

Siga-nos nas Redes Sociais!

mm

Eduardo Daldegan é formado em Engenharia Civil pela PUC-MG. É apaixonado por empreendedorismo e hoje trabalha em diversos projetos. É casado e seu maior empreendimento é a construção da sua família.

Você está sem conexão à internet